E-book gratuito Revolução verde

BAIXAR E-BOOK

Blog

Como gerenciar com sucesso uma propriedade rural.

PUBLICADO EM: 08/nov/2019

Como gerenciar com sucesso uma propriedade rural

Uma propriedade rural bem administrada, bem gerenciada, precisa ter uma força de equipe de trabalho qualificada, bem treinada, desenvolvida e satisfeita com aquilo que faz. A motivação e a satisfação no trabalho são consequências naturais de políticas de pessoal justas e inteligentes.

As rápidas transformações sociais por que passa o mundo, particularmente o Brasil, estabelecem um novo equilíbrio e sentido nas relações de trabalho, transformando-as num processo mais humanizado e, por isso, sujeito a um maior potencial de conflitos, onde as decisões exigem das pessoas, e principalmente das lideranças como é o caso dos gerentes, conduta e habilidades de negociadores permanentes.

A motivação e a satisfação no trabalho são consequências naturais de políticas de pessoal justas e inteligentes que considerem o empregado como um ser humano com necessidades e desejos próprios.

Riscos e variáveis

Aquele que lida com a agropecuária, sabe muito bem o quanto essa atividade apresenta riscos. Sabe que a sua produção depende de muitas variáveis, como: clima, solo, água, plantas, disponibilidade de terras, dinheiro. Depende de tecnologia, de máquinas e equipamentos, depende do mercado e dos programas governamentais, depende dos custos de produção e de investimento e, o mais importante, depende da mão de obra.

Organização

A organização de seu empreendimento rural pode ter grande influência no aprimoramento das potencialidades profissionais e pessoais dos trabalhadores 

Toda propriedade rural, por mais simples que seja, é uma empresa, um negócio. E como todo negócio, para ter sucesso e prosperar, precisa ser bem gerenciado. Uma propriedade bem administrada precisa ter uma força de equipe de trabalho qualificada, bem treinada, desenvolvida e satisfeita com aquilo que faz. Caso contrário, ela terá dificuldades em atingir o sucesso financeiro, com eficácia e eficiência.

O que faz um bom gerente

Para se tornar um bom profissional na área de gerenciamento, deve-se desenvolver três competências:

– A primeira competência é a competência técnica, ou seja, saber fazer aquilo que deve ser feito, na prática. Essa competência é diferente da competência acadêmica. A acadêmica é quando se conhece um assunto apenas na teoria e nunca o desenvolve na prática. Ninguém exige do produtor rural um diploma ou certificado técnico, mas exige que ele tenha um conhecimento atualizado e abrangente, de ordem prática.

No entanto, tempo de serviço ou anos de trabalho na terra não é um bom indicador para medir e avaliar desempenho ou produtividade. Há situações nas quais anos de serviço não acompanham um bom desempenho ou não correspondem a uma competência técnica desenvolvida. Tempo não é indicador de desempenho.

– Competência interpessoal é saber lidar com o outro. É saber se relacionar bem com a equipe de trabalho. É a capacidade para saber lidar com o outro, numa relação de parceria, trazendo ao trabalho qualidade de vida, saúde, alegria, prazer e felicidade.

– A terceira competência é a competência cultural, ou seja, é aquela na qual o saber é mais abrangente, mais amplo. Esta condição não é obrigatória, mas é recomendada para ajudar no desenvolvimento de uma equipe de trabalho.

Visão global

Saber o que está acontecendo no mundo, no País, no seu Estado, no Município, na cidade, através de noticiários no rádio, na televisão ou no jornal, é estar bem informado. O conhecimento até de outras línguas, de estatística, de informática e outros, acabam contribuindo com o desenvolvimento do administrador rural e o desenvolvimento de uma equipe de trabalho.

Em resumo, a competência cultural facilita um contato mais qualificado e competitivo com os concorrentes no mercado produtivo nacional e internacional. E para tal é preciso poder dialogar e aprender mais coisas com dirigentes cultos e vice-versa.

A competência cultural ou um conhecimento mais amplo possui um peso maior, ou seja, é mais importante para o proprietário do empreendimento rural que para seu gerente, seus técnicos ou trabalhadores do campo. Por sua vez, para o gerente, ela é mais importante em relação aos técnicos. E, para os técnicos, a competência cultural tem peso maior que para os demais trabalhadores ou tarefeiros.

Entretanto, é curioso notar que a competência interpessoal possui um peso ou uma faixa ascendente nos níveis hierárquicos do empreendimento rural, sendo tão ou mais importante que as outras competências.

A única diferença que se dá entre os níveis da hierarquia é quanto ao grau de refino dessa competência, como a maneira de falar e de se apresentar. É claro que se espera de um proprietário, gerente, supervisor ou encarregado que fale ou se expresse melhor, com mais diplomacia, em relação a um componente de sua equipe de trabalho.

Sua fazenda, seu negócio

Toda propriedade rural, por mais simples que seja, é uma empresa, um negócio. E como todo negócio, para ter sucesso e prosperar, precisa ser bem gerenciado

A competência técnica possui um peso inverso na hierarquia da organização, ou seja, é mais necessária para seus técnicos ou especialistas, menos necessária para o cargo de gerência e menos ainda necessária para o proprietário do empreendimento rural, a quem compete uma supervisão ou gerência geral do negócio.

O que é mais importante na administração de um empreendimento rural é o desenvolvimento gerencial ou interpessoal, é o saber lidar com o outro. Não adianta eletrificar ou informatizar a propriedade inteira, se não existir um bom gerenciamento, um bom relacionamento interpessoal.

Solicite uma ligação

Preencha os campos que nós entraremos em contato rapidamente. Ficaremos felizes em falar mais sobre como podemos aprimorar a gestão da sua empresa.